Uma das atividades autogestionadas do IV Encontro Nacional de Agroecoclogia (ENA) vai fazer, literalmente, a costura política entre a comunicação, a cultura e o modelo de agricultura defendido pelas diversos territórios, movimentos e organizações que compõem a Articulação Nacional de Agroecologia (ANA). A confecção coletiva do “Bandeirão de Luta” está marcada para o sábado (2/6), das 9h às 12h, na Tenda 10 do Parque Municipal de Belo Horizonte (MG).

As delegações que vão #RumoAoIVENA podem, desde já, preparar seus pedaços de tecidos. Juntem as pessoas e, por meio de desenhos, frases, colagens e bordados, registrem coletivamente os resultados de rodas de conversas. Qual cultura a agroecologia semeia? O que a alimentação comunica sobre os territórios? O que a comunicação e a cultura têm a ver com a radicalização da democracia? Como elas podem fortalecer ou já fortalecem a agroecologia? Por que interessa à toda sociedade a agroecologia? Essas e outras questões servem para estimular os debates entre os grupos.

[Acesse aqui mais orientações sobre como participar]

Durante a atividade autogestionada, vamos debater os temas, confeccionar mais pedaços de tecidos e unir os que já chegarem prontos ao IVENA. Os conhecimentos adquiridos e registrados nessa costura ajudarão a compor o conteúdo sobre o eixo “Comunicação e Cultura” na carta política do Encontro, que também contará com um seminário específico sobre os temas.

“Nossa arte coletiva vai representar a importância da comunicação e da cultura populares, comunitárias, alternativas e livres para a agroecologia. Com certeza o ‘Bandeirão de Luta’ também vai reunir recados sobre os problemas da mercantilização da comunicação e da cultura, uma realidade que só fortalece o agronegócio e inviabiliza uma real democracia no nosso país”, completa Luciana Rios, do Coletivo de Comunicação e Cultura da ANA. Ela participou do II Encontro Estadual de Agroecologia da Bahia, promovido no município de Santa Bárbara nos dias 9 e 10 de maio. Entre as atividades, os participantes construíram uma bandeira da comunicação e cultura popular e agroecológica da Bahia, que fará parte de uma grande costura do eixo “Comunicação e Cultura” do IV ENA.

“O Encontro pretende reoxigenar o campo agroecológico ao fortalecer conexões entre as diversas lutas e resistências no cenário político atual. Para o movimento agroecológico, é fundamental repensar a cultura e a comunicação como práticas cotidianas e expressões dos povos”, completou Luciana, que também integra a organização Sasop. O IV ENA vai acontecer de 31 de maio a 03 de junho de 2018, ano em que a Constituição Federal de 1988 completa 30 anos.

Fotos: Preparação dos tecidos em PE e na BA. (Reprod.)
Texto: Gilka Resende, do Coletivo de Comunicação e Cultura da ANA e da FASE