Histórico

Caravanas Agroecológicas e Culturais

A Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) promoveu Caravanas Agroecológicas e Culturais em todas as regiões do País, em parceria com diversas organizações locais, como parte do processo preparatório ao III Encontro Nacional de Agroecologia (ENA). Ao todo foram visitados 12 territórios, a maior parte em 2013, envolvendo 2.500 pessoas, entre agricultores/as, técnicos/as, estudantes, acadêmicos, jornalistas e gestores públicos.

A proposta da caravana é uma inovação metodológica na ANA, com o objetivo de mobilizar os atores locais para que eles possam estudar e compreender melhor seu território, pensar o fortalecimento da agroeocologia, a ampliação da escala das suas experiências, bem como conhecer as ameaças que estas experiências enfrentam para se desenvolver.

As caravanas foram importantes para mostrar a diversidade de experiências agroecológicas presentes nos territórios e fortalecer os processos de mobilização social nesses locais. Também evidenciaram os projetos antagônicos em disputa nesses locais, como é o caso do perímetro irrigado a ser implantado na Chapada do Apodi (RN-CE), o crescimento da mineração na Zona da Mata (MG), as hidrelétricas previstas para o rio Tapajós, em Santarém (PA) e o uso intenso de agrotóxicos no Mato Grosso, inclusive na região de Cáceres.
As caravanas também procuraram responder à pergunta central do III ENA: Por que interessa a sociedade apoiar a agroecologia? Nesse sentido, durante as caravanas, foram planejadas atividades nos centros urbanos com o objetivo de mobilizar a população local em favor do tema.

Vale ressaltar a participação das mulheres nas caravanas. A expressão dos seus trabalhos esteve presente em suas experiências, práticas e conhecimentos na defesa da biodiversidade, do patrimônio genético, na produção de alimentos saudáveis e na luta por políticas públicas voltadas para a defesa da agricultura familiar, camponesa e da agroecologia.

Na página da ANA está a cobertura de cada atividade.