I ENA

DATA

30 de julho a 02 de agosto de 2002

LOCAL

Rio de Janeiro/RJ

PARTICIPANTES

1120

Histórico

I ENA – Um Encontro Nacional para articular iniciativas agroecológicas

O I Encontro Nacional de Agroecologia aconteceu no Rio de Janeiro entre os dias 30 de julho e 02 de agosto de 2002. Sua proposta foi articular as iniciativas do campo da agroecologia que se encontravam espalhadas por todo o Brasil, numa perspectiva de ampliar sua ação e expressão política. O encontro reuniu 1.120 pessoas, sendo 70% agricultoras/es, além de pesquisadoras/es, estudantes, técnicas/os de organizações e 171 entidades da sociedade civil que desenvolviam trabalhos no meio rural brasileiro.

No Brasil, já havia diversas iniciativas de produção agrícola sustentável, com incentivo de organizações da sociedade civil, alguns centros de pesquisa e universidades. Existiam também redes locais de agroecologia, que reuniam sindicatos, associações, pastorais, grupos de mulheres etc. O I ENA foi o espaço para juntar essas experiências para que acontecessem as trocas de saberes e metodologias de trabalho praticadas por organizações, agricultoras e agricultores.

Leia mais

Documentos

Pós-Encontro

ícone

Anais do I Encontro Nacional de Agroecologia (2002) 28 MB 14 downloads

Documento que apresenta o processo de construção, a programação, registros e…

Fotos

Encerramento

Lançamento de publicações

Oficinas

Cultural

Feira

Plenária final

Plenárias

Notícias

Seminário fluminense abre debate do Encontro Nacional de Agroecologia

O Seminário de Agricultura Familiar e Agroecologia no Rio de Janeiro discutirá em dois de julho de 2002 na UERJ o desenvolvimento da agricultura familiar fluminense em bases agroecológicas e as sugestões do estado para o evento nacional. “A agricultura familiar depende no Rio de Janeiro de um projeto de reforma agrária em bases agroecológicas, para dar as condições econômicas necessárias para viabilizar ao produtor obter meios de desenvolver a atividade agrícola sem agredir o meio ambiente”, explica o engenheiro-agrônomo Paulo Petersen, diretor-executivo da AS-PTA (Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa). Uma das questões a serem levantadas é…

Parcerias

Organizações Articuladoras

AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia

Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata

FASE – Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional

Comissão Organizadora

Movimento dos Trabalhadores/as Sem Terra

Comissão Pastoral da Terra

AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia

FASE – Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional

Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata

SASOP – Serviço de Assessoria a Organizações Populares Rurais

Centro Ecológico

Centro Sabiá

Movimentos dos Pequenos Agricultores

Movimento de Mulheres Camponesas do Brasil (antiga Articulação Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais – ANMTR)

Rede Cerrado

Rede de Agroecologia Ecovida

Articulação Semiárido Brasileiro

CSN – Conselho Nacional dos Seringueiros

CONTAG Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura

Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul

Unefab União Nacional das Escolas Famílias Agrícolas do Brasil

GERA – Grupo de Estudo sobre Reforma Agrária/Universidade do Mato Grosso

GTNA – Grupo de Trabalho Agroecológico na Amazônia

GTA – Grupo de Trabalho Amazônico

Organizações Apoiadoras

Brot fur die welt (Pão para o Mundo)

Oxfam/Novib

Coordenadoria Ecumênica de Serviços (CESE)

GTZ

ActionAid

Desenvolvimento e Paz

Fase

Programa Águas do Brasil

GOV.UK – Departamento de Desenvolvimento Internacional

SIDT – Subprograma e Informação, Disseminação e Treinamento

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do rio de Janeiro (Emater-RJ)

Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf)

Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj)

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ)

Governo do Rio de Janeiro